terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Pena leve


Agora sou pena!
E que pena!
Leve, porque a usei...
Leve e calma porque sei que, com tinta, sai cor.
Sai sangue,
E escorre.
Escorre alívio e cura
Traz paz e calmaria.

É uma pena...
Não a ter usado antes..
Se dela posso me esvair
E dizer...
E fazer brotar o novo
E (des)cobrir-me....

É a ela que me apego
E que apego! Não a deixo.
Meu novo lugar! Que pode ser real!
Que não precisa ser em vão...
Que me entende,
Meu lugar que me traduz e me decifra.

Meu lugar, minha pena!
Pena, não todos terem essa pena.
Que realmente tem aliviado o meu penar!

8 comentários:

Filipe Garcia disse...

Jogo de palavras bonito!!
Também acho q a pena é instrumento de evasão, fuga... e a pena é tão leve... deixa-nos assim tb, com um alívio na alma.

obrigado por voltar a escrever poemas. Os seus são sempre os melhores, rs.

bjo

Fernando Locke disse...

Muito bom! ah, permita-me! Fernando Locke! sinta-se a vontade para passar em meu blog!:) muito bom o seu jogo de palavras, como foi bemcomentado pelo Filipe, alémdo que, fala de um instrumento que para muitos,é mais forte que uma espada: a pena! sim, não só é capaz de feriri mas de curar, trazer emoçoes diversas e leva-las todas embora! abraço! ah, posso te linkar?

Juliana Caribé disse...

Adorei o jogo de palavras... Me lembrou de uma música da Marisa Monte, "Balança Pema"...

Beijos.

Alberto Vieira disse...

oi Bárbara!

Esse poema ficou sensacional! Mto bom! mesmo!


um grande abraço

Anne Baylor disse...

Ahhh..
Cada um descobre a pena que o livra da pena que merece!!!

Gostei do seu cantinho,.
beijoS.

Tiago Enes disse...

Oi

O Blog tá muito legal!
Bons posts!

Parabéns!

Abraço!


Se puder visite!!!

http://tiagoenes.blogspot.com/

Mr. Ziggy disse...

A nossa vida é uma constante de descobertas. Queria eu descobrir uma pena assim, que me deixasse calmo, tranqüilo e mais leve...

Mas sei que cada um tem seu tempo, sua história. Vamos ver o que me espera e como é essa pena, de que cor ela é.

Jogo de palavras interessantes!
Bjo, Babi! É sempre um prazer passar em teu blog!

a clara menina Clara disse...

que bonito isso.

acredito que cada um tenha um refúgio sim, se é habitável ou não já é outra história. quem não conhece a si mesmo, não conhece nada de verdade.

volta sempre que sentir vontade!

beijo