segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Aquele par de brincos


Era noite,
Escolheu os brincos,
Os mais lindos.
E eles reavivaram sua alma.
De olhá-los, o brilho voltou
Para esse par de olhos.
E aquele par de brincos a fez lembrar do amor.
Reacendeu o que amava.
E se lembrou.


Lembrou-se do dia que o sol brilhou
Para aquele par de mãos dadas
Aquele par de amigos
De irmãos,
De unidos, de amor.
Lembrou-se de quando os recebeu
De quando recebeu os brincos,
E da quantidade de carinho
com que foram escolhidos.

Eles ainda brilhavam
Pedras tão reluzentes
que trouxeram de volta
aquela tarde de escolhas,
aquela que fora tão quente.

Foi se arrumar e se lembrou
Agora não quer mais esquecer.
Nunca mais.
Daquele par de brincos e daquele seu par de amor.

7 comentários:

Juliana Caribé disse...

O brinco, deixado sobre a penteadeira, àquela hora do dia refratava a luz do sol, criando, no branco da parede, as cores reinventadas do arco da íris dos olhos deles, postos um no outro...

Mr. Ziggy disse...

Algus selos a aguardam em Pesar de Alma. Bjos!

Mr. Ziggy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mr. Ziggy disse...

Babi, o último verso foi o mais lindo, fechou teu poema com chave de ouro. Muito singelo e muito belo! É sempre um prazer ler-te. Bjos!

Filipe Garcia disse...

bonita sua forma de dizer como as pequenas coisas falam tanto... basta a gente dar significado para elas.

bjo.

p.s.: vc vai me deixar com vergonha com essa historia de espalhar sobre meu blog. rs.

:: Daniel :: disse...

Li o seu texto ouvindo na mente Bethânia cantando "Valsinha":

"E então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar

Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar

Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar

E cheios de ternura e graça, foram para a praça e começaram a se abraçar"

Lindo texto. Lindo, lindo.

Seu post me lembrou um que escrevi há um tempinho. Chama-se "Vestido azul"

Se quiser, depois dá uma olhada lá: http://velha-casa.blogspot.com/2007/12/vestido-azul.html

Beijos,
Daniel

Fernando Locke disse...

garota! Muito bom! e como aspequenas coisas podem nos lembrar de grandes momentos, não é verdade, sei por experiencia propria, as pessoas nem imaginam os segredos que podem se esconder atrás, de um brinco, um colar, ou, até mesmo ( e por que não?) de uma pedra! abraço!