sexta-feira, 4 de abril de 2008

Junção única de vida


Que diferença fará?
Se morrer ou prosseguir a respirar?
Se inchar ou desinchar?
Subir ou não?
Querer então,
Ser ou não!


Se os ventos soprarem
e arduamente se esforçarem
e expressar, e falar, e falar...
De nada vai adiantar!


Não sei o medo!

Não sei o medo, nem o amor, nem a alegria....
Não sei o visível..

Que diria desse invisível sentimento?

É a própria vida...
Juntam-se, então, meus desconhecidos,
Meus não-limitados em palavras,
Meus experimentados em um pulsar,
Juntam-se, e o são!São vida!
Já não sei a própria vida!

Antes a junção - essa vida aqui - fosse de outro
Antes existissem duas delas...
Ah.. mas é tão única, é passageira!
É tão minha
É só MINHA!

7 comentários:

Mr. Ziggy disse...

Senti mta intensidade, mas foi tão louco, mas tão louco, que não penetrei. Volto aqui depois pra reler e ver se tenho um melhor acesso às suas palavras. Bjos!

Lucas disse...

minha amiga poetisa :)
bjs

:: Daniel :: disse...

Uma vida que quer sentir a dor da manhã, como canta Gonzaguinha (principalmente se for na voz de Bethania).

A vida que quer sentir o seu alvorecer. Está cansada da penumbra do que acha que é invisível, mas na verdade se trata do obscuro ainda, do incerto.

Eu compreendo este seu poema.

Bjo grande

Filipe Garcia disse...

Bárbara, eu senti um emaranhado de sentimentos-todos-juntos e não sei se captei realmente a idéia do poema (apesar de ter lido duas vezes com muita calma!). Primeiro você fala da falta de objetivo, do "pode ser isso, mas pode ser aquilo também" que mostra um pouco de derrotismo. Depois você fala das pessoas importantes que compõem seu mundo e isso parece ser seu alívio, sua ternura. Talvez agora, depois de escrever essas coisas, eu tenha te entendido melhor.
O que importa, é que suas poesias continuam dotadas de significados vivos e de uma presença sutil mas muito real de emoções múltiplas.

Beijo.

Fernando Locke disse...

MUito bom! olha, bastante intenso, com muita convicção, mutios desejos comfiltantes, queria poder ser duas pra poder fazer todos esses desejos que eentram em contrasenso. Achoq e as vezes todos gostariamos de ser mais de um, e as vezes, ninguém. Grande abraço!

Juliana Caribé disse...

Tem florzinha sumida do meu quintal...

Beijos.

Fabio Martins (Dú) disse...

intenso, verdadeiro e completo.

bjão, mandou bem a vera.