quinta-feira, 27 de março de 2008

Presente de flor





Escolheu o vestido lilás que enchia o ar de nobreza. Colocou as meias-finas. Enfeitou-se com cuidado. Encaracolou levemente os cabelos, com paciência e devoção. Amarrou o laço nas costas, era grande como de princesa. E podia ver-se assim: uma princesa.
Abriu a caixinha de música e ouviu aquela canção doce enquanto escolhia seus brincos. Aquela canção se tornou única, se tornou tema. Ele talvez nunca saberia disso, mas como ela a ouvira hoje, e tudo o que vivesse hoje, a marcaria para sempre. Nem sabia se existia letra nesse chiado de música, mas aos seus ouvidos soava como bela o suficiente para desenhar-lhe um sorriso. Os brincos eram harmoniosos com o seu conjunto de delicadeza, e a conferiam um brilho doce, um sorriso bonito. O perfume era a fragância colhida das flores. O hidratante amaciava aquela pele nova e viva. Abriu a gaveta dos sapatos, e, depois de muito procurar, conseguiu encontrar exatamente o que precisava: sapatos delicados e seguros, capazes de ajudá-la nesse caminho de ansiedade, caminho de vontade de chegar, caminho que a levaria até ele. Não bastava todo o preparo sem a caminhada, precisava prosseguir. Pois, havia acordado só pra levar até ele aquela flor.

9 comentários:

Filipe Garcia disse...

sabe que deu pra ver você pintada nesse texto?

E me pareceu uma declaração de identidade, uma proposta de "ir por aí buscando seus cantos, seus caminhos..."


Achei terno, bonito e seguro. Tudo isso e mais algumas coisas que não consigo dizer pq me faltam as palavras.

Beijos

:: Daniel :: disse...

Nossa,

Lembrei muito da menina do vestido azul lá no velha casa.

Mas lembrei também de um conto da Clarice, "Amor de carnaval", se não me engano, sobre uma menina do Recife que sonha com sua fantasia para brincar sua folia.

Belas palavras, moça! =]

Beijo grande.
Daniel

Mr. Ziggy disse...

Eu queria uma menina especial, como essa do texto. Ela ama, demonstra e se entrega, com tamanha simplicidade, singeleza e, acuma de tudo, amor! O texto seu mais lindo que já li até hoje. Huahuahuauhauha! Todo dia falo isso. Significa que tá cada vez melhor. Bjos e saudade!

Lucas disse...

cheio de emoção, de esperança, de incertezas e de sonhos... cheio de sentimentos trazidos pela ansiedade de ser flor na vida de alguém. Quem vc deseja perfurmar hoje, cara amiga?

Abraços

Juliana Caribé disse...

Ê singeleza...
Ainda bem que a flor não tinha espinhos...
(desculpa, tô meio pessimista hoje.)

Beijos.

Camilla disse...

Lembrou a mim mesma o texto. Tenho a mania de associar certos fatos, épocas ou pessoas da minha vida com músicas. Talvez a pessoa nunca chegue a saber disso...
Gostei da parte em que disse que ela precisava de sapatos para ajudá-la a andar com segurança. A comparação e o jogo de sentidos caiu muito bem. Se vendessem desses sapatos nas lojas, compraria um. Ando bastante insegura ultimamente.

Belo blog!

Fabio Martins (Dú) disse...

Lindo texto... demais!!!
já te add aos meus favoritos pode?!
bjão

Rafaela Marinho disse...

A riqueza de detalhes faz com que a nossa imaginação crie uma cena única pra cada um. Gosto de textos assim, porque além de massagiarem a alma, criam essas cenas que só nós criamos. Muito bom!
Beijos
Voltarei aqui mais vezes!

Fernando Locke disse...

Seria um auto-retrato esse texto seu? ficou Muito bom! gostei! tudo isso de se preparar para entregar a flor, mas nao era tão importante a flor, mas estar levando ela. tem um ditado que diz" muitas vezes na vida, o mais importante será a jornada e não a chegada". Abraços!