quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Porta fechada*



E o interruptor estragou! Escuro e frio. Ele fica ali no canto, de pernas juntas e dobradas. Ele as abraça. Porque é o que tem pra abraçar. São elas o seu consolo. E se joga nelas. E as ama, porque só as tem pra amar.
Não há janela e, na verdade, se há, não dá pra achá-la. Tá tudo triste.
A porta está fechada há anos. E por dentro. Para ele ficar ali.. no canto.. em paz... com suas pernas.
Não dá pra olhar para o lado, não vê nada em cima, mas se acostumou com isso. De vez em quando, inventa de querer, de sonhar de sair, de voar, de ver por uma janela. Mas está cego. E triste. E parado. Só anda em pensamento.
Não vive o que devia. Se tranca. Não faz como queria, só sonha. Só imagina.
E o pesadelo é o que lhe resta de concreto, mas não tem mais medo, porque no escuro só tem ele e suas pernas. Ninguém vai aparecer....nem fantasma... porque ele trancou por dentro.
*REPOSTAGEM.... lembrei desse texto e resolvi postá-lo de novo.

Um comentário:

Gustavo Bianch disse...

achei bonito, até pq, não tinha lido quando vc postou pela primeira vez.