quarta-feira, 11 de junho de 2008

(Sem título)


Vasilha vazia
Quadro sem cor
tinta sem voz

Há tanto o que falar
E tão pouco
Sobra tanto
E falta mais.


Olho para você
E afugento-me
Olha pra mim.
Encontrei coragem,
Você retoma seu lugar
E eu, agora, fujo,
Mais que correndo,
deparei-me com as vasilhas
Os quadros me saltam os olhos
E a tinta..... sem voz.


O papel só pode estar em branco.

6 comentários:

BIANCH, Gustavo. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas disse...

Minhas tintas hj estão mudas tbm...
deve ser o sono (rs)
Mas vc sabe que tbm em mim 'sobra tanto e falta mais" para dizer sobre seus textos.... hehehe
abraços

BIANCH, Gustavo. disse...

Altamente metafísico!
Quase uma Cecília Meireles!
Lembrei de uma frase minha: "Outras vezes, não ter o que dizer é o mesmo de ter tanto a dizer que, atônito, o silêncio torna-se alternativa mais viável."

Bjos!

Alberto Vieira disse...

Barabara...

um texto sublime

Tão sublime que é dificl senti-lo. Tão efêmero!

abraços

*:. Déia .:* disse...

Oi Bárbara! Me identifiquei muito com seu blog!
Você escreve muito bem.
Linkei seu blog no meu!

Bj Déia

Ni ... disse...

Que a cor chegue de mansinho e pra ficar...
Beijo e mais beijos...