sábado, 15 de novembro de 2008

Sobre disposição


Andei pelo lado errado da rua. E machuquei-me no buraco que por ali havia. Sofri e surpreendi-me com tamanha disposição. É... acho que era disposição o que havia me mim. Sofri por instantes. O mundo não desabou, meus tetos não ruíram e não havia lentas músicas sórdidas, com um tom de psicodelia, rock depressivo ou desespero. Minha face não se desmanchou em cores nebulosas. Minhas vistas não ficaram escuras e meu peito não doeu latente. Não contorci-me em lágrimas, não desaguei-me, não desejei a morte. Não arranquei minhas flores, apenas limpei meu vestido. Não atirei-lhe meus sapatos e nem cuspi-lhe palavras. Não praguejei todos os dias que vivi acreditando que chegaria a felicidade. Praguejei, sim. Praguejei aquele buraco e atribui apenas a ele a culpa da minha dor. Não, minha identidade não era culpada por isso. Não, nem a minha fraqueza, ou minha visão, ou meus devaneios acordada que me tiram do chão e me distraem da realidade. Não, não fiz isso. Não me culpei. Apenas dispus-me. Dispus-me a sofrer o que ali me trazia, ali, e não meu passado ou meu incerto futuro. E percebi que dispus-me à felicidade, dispus-me a tê-la. Entendo. Estou disposta a sofrer, afinal, estou tão disposta à felicidade.... que disponho-me por inteiro a viver!

6 comentários:

Jaya disse...

"E percebi que dispus-me à felicidade, dispus-me a tê-la. Entendo. Estou disposta a sofrer, afinal, estou tão disposta à felicidade.... que disponho-me por inteiro a viver!"

Vai passarinhar, Bárbara! Eu vou daqui, depois te ler assim, cheia de asas. Tem um céu bonito, pintado pra gente. E acontecer um encontro, que falemos de arco-íris.

(:

Belo, teu texto. Sempre com uma mensagem assim, pegando entrelinhas de situações comuns, que guardam um tantinho de mistério, em suas ações.

Beijo nocê.

Gustavo Bianch disse...

Oi. Gostei muito da alma do texto, que na minha visão, está nesta sentença: "Sofri por instantes. O mundo não desabou". Alguns sofrem por instantes, outros em "longos" instantes. Mas o mundo não desaba. Isso se explica por esse desejo pela felicidade, que nada mais é do que esta disposição em prosseguir na caminhada. E o mais surpreendente: querer viver é estar disposto a tudo, inclusive sofrer.

Muito boa conclusão. Que Deus nos conduza a isso, pq é só pela graça mesmo!

Beijo no coração

Ivny disse...

Uau!
quanta força...
desejo de todo o coração a eficácia de todas essas palavras...
e que o buraco fique pra trás...há muitos caminhos planos a caminhar

Alberto Vieira disse...

Que bom q vc está disposta a sofrer. Pq ele é inevitável. Encará-lo faz bem!

belo texto

bj

... disse...

Que texto bonito bárbara. Não é cheio de melosidades ou sonhos inalcançáveis. Ele é real e por isso a sua beleza é explicita. Minha alma sorriu ao ver sua força! Parece que a menina do mundo azul de um tempo atrás, aquela, que preferia dançar ao som da música alta, descobriu beleza na realidade. Percebeu que o viver, mesmo que através de dores, possui seus encantos e charmes.
Mais uma vez, bela poezia, querida amiga. Bela força.

Abraços

Anônimo disse...

civentichems revamp nebosh cassette navjivan reform savings prepares affiliates triple emboli
semelokertes marchimundui